Receba dicas grátis!

Como lidar com a frustração e o desânimo na empresa

As mudanças nas leis trabalhistas e a crise financeira são um dos fatores que geram a perda de benefícios para os funcionários, gerando grande insatisfação e um desânimo coletivo. O importante é que as companhias busquem recursos a fim de evitar esse cenário de desanimo que, muitas vezes, se instaura no ambiente de trabalho.

Uma das ferramentas poderosas que podem ser utilizadas são ações de transparência, fazendo com que a comunicação interna alcance todos os níveis. Com isso, a organização evitará o clima de incerteza e, consequentemente, o aumento da rotatividade de colaboradores, que geram custos desnecessários e prejudica a imagem corporativa.

Quem já faz parte do quadro de colaboradores da empresa e está vivenciando tempos difíceis, é preciso de esforços redobrados para manter a motivação ou avaliar uma mudança de caminho. Ambientes de trabalho ruins, com pessimismo, insatisfação e outros sentimentos, tendem a afetar até mesmo os otimistas, afinal reclamações “contaminam” os pensamentos e bloqueiam nossa visão realista e ampla de toda a situação. A melhor estratégia continua sendo o famoso: ouça muito e fale pouco, fique longe de fofocas e demonstre flexibilidade em sua postura.

É natural do ser humano fantasiar nos relacionamentos, no trabalho e em tantas outras situações. Porém devemos sempre tomar cuidado, a idealização de algo pode nos levar a frustrações, afinal a realidade nunca corresponde com as expectativas. É o que ocorre com muitos profissionais quando inicia em uma empresa, parte da vivência no novo trabalho passa por um processo de desconstrução, e isto envolve ganhos e perdas.

Para aqueles que estão em busca de uma recolocação a dica é pesquisar informações atualizadas sobre a companhia dos sonhos, fazer um balanço para avaliar se realmente este é o lugar ideal para seguir carreira. A escolha de um emprego deve ser baseada em critérios racionais e estar de acordo com seus objetivos de carreira.

Mas, afinal, o colaborador deve ficar ou sair da empresa? A resposta para isto é muito pessoal, dependendo do nível de descontentamento, sair do emprego é algo a se considerar. As divergências de valores, ou quando a relação com a empresa impacta no emocional, são os principais fatores que levam profissionais a desligarem de seus cargos. Mas, para tomar tal decisão, é necessário ter um plano B, estruturar financeiramente e buscar auxilio de profissionais especializados que irão fazer o trabalho de recolocação no mercado de trabalho, o importante é não tratar tais frustrações de maneira solitária, conheça os outros pontos de vista deste cenário.

 

Equipe de marketing – Executtive RH

Adicionar comentário